Poucas pessoas viveram grandes feitos, grandes viagens ou grandes paixões. A maioria viveu o que podia ter vivido, o que foi o meu caso.
Fui ao cinema, li alguns livros, curti alguns churrascos, passei uns finais de semana fora da cidade, reclamei da falta de dinheiro, briguei com meus pais e irmãos e fiz as pazes com meus pais e irmãos.E depois briguei de novo.
Esperei em filas, reclamei do frio, pensei em casar, depois pensei em descasar sem ao menos ter casado. Pensei em ter um cachorro, acabei adotando dois.
“Grandes sonhos” é apenas uma força de expressão.
A maioria de nós vive de forma semelhante, salvo aqueles que foram premiados por uma fatalidade – e já não é uma fatalidade suficiente estar vivo?
Essa semana cheguei muito perto de conquistar meu objetivo – bateu na trave – enquanto muitos amigos lamentaram, eu fiquei feliz, porque o melhor que aconteceu sem eu ter sonhado, foi olhar para trás e concluir que o que aconteceu de mais diferente foi eu mesma. Entrei de um jeito e sai outra.
Quando olho para meu passado encontro uma mulher bem parecida comigo – por acaso, eu mesma – porém, essa mulher sabia menos, conhecia menos lugares, menos emoções.
Então, descobri que conquistei algo muito melhor – estou falando de vivência e evolução.
Involuir é muito trabalhoso, requer que rejeitamos todos os nossos aprendizados: e quem faria essa maldade consigo mesmo?
Evoluir é que esta na ordem natural das coisas, e às vezes torna-se esquecido por sonhos muito pequeno perto da grandeza sem descrição notada e percebida que é, evoluir.
Portanto, verei alguns filmes, lerei alguns livros, sairei da cidade uns finais de semana, irei bater ótimos papos com os amigos, terei arranca-rabos com a família e depois voltarei às boas, perderei tempo em fila e reclamarei do frio.
E mesmo sendo igual a tudo que já fiz, sairei melhor do que entrei, simplesmente porque é impossível desprezar conhecimentos, conversas e sensações – mesmo que pareça igualzinho é necessário para seguir adiante e viver melhor. Porque viver melhor com coisas simples da vida já virou um sonho de consumo.






45 Comente Aqui:

"Viver melhor coisas simples da vida já virou um sonho de consumo."

Perfeito, menina.
Realizar-se, estar feliz, longe de ser uma derivação de comodismos, é também uma decisão.

Como ouvi, se outras escolhas houvessem sido feitas no passado, estaríamos em outro lugar; se gostamos de onde estamos, provavelmente fizemos as certas.

Beijos.

Sempre achei que os grandes feitos vêm de grandes pessoas, e não de grandiosos contextos.

As oportunidades ficam ao ar, e cada um faz delas o que quer ou consegue. (O que precisa fazer, por sua própria natureza).

Cada um lute suas batalhas, cada um que sue e sangre o quanto for necessário. Mas, que cada um faça isso por si mesmo, nunca pelos outros.

Sempre achei que, no final do dia, a felicidade vem de dentro, talvez de ter feito tudo o que se teve vontade.

Espero que seus dias estejam completos assim.

Belo retorno, Miss Blogger. ;)

Sua volta é magistral!!! Esse texto mostra uma maturidade tremenda... queria ter escrito algo assim!

Fico mto feliz q tenhas voltado e ainda mais pq foi com esse trabalho tão bom q vc nos apresenta! Essa pausa te fez muitissimo bem, mocinha...

bjão

"tudo novo de novo".
do caralho o retorno.

abraço, Bianca

E eu estou aqui às turras pra fazer um fogão à lenha na minha casa.
Será que isso seria involuir?
Ou seria evoluir?

Lindo seu texto.
Parabéns.

Oswaldo.

Novinha em folha!
Sinto contradizer-te querida, pois que é muito bom assim te contradizer.
Não há retorno, mesmo nas diferenças travestidas de repetições.
A mulher que inaugura neste blog uma nova partida de tempo, é certamente uma outra Bianca diferente daquela de um 30 de abril já passado. Não. Reformo o que acabo de dizer. Não há Bianca diferente. Há, sim, a Bianca outra, nova, pois que não foi reinventada. Há a mulher que buscou nas singulares intensidades vividas, o sangue novo das multiplicidades que a travestiu de nova.
Bem-vinda querida amiga.
Não foi demasiado penosa a espera por teu retorno, pois que outras esparsas páginas foram escritas e viradas.
Carinhoso abraço amigo e de Paz.

Acho que o grande segredo é esse mesmo, emoção com as coisas simples da vida...

Seu blog enfim te reconheceu? rs

Muito lindo, estava com saudades de te ler!

Um B.E.I.J.O e bom final de semana pra vc!

Mauricio Rayel disse... 12 de julho de 2008 13:33  

Minha escritora preferida !

Bom vê-la de volta , em forma e grande estilo....

Nem vou falar que gostei do texto que isso já se tornou uma redundância...

Bjusss

Mauricio Rayel

E
V
O
L
U
I
R

ZEN

o nada é tudo
tudo é o nada
o vazio é a forma
a forma é o vazio
a mente tudo M E N T E

Evolução é sacar o aprimoramento das coisas, sacar além dos olhos, na gratidão diárias de estarmos aqui. E qual finalidade de estarmos aqui é evolução,mas não só isso é felicidade e a felicidade é zen.

Já que vc pretende assistir um filme, assista The dark knight, 0
2º filme do batman que está para lançar dia 18. Mas assista sem pré-conceitos porque é um filme de massa etc. VC VAI ADORAR!

viva a revolução, moça.

felicidades.

Perfeiiiiito Bianca, como sempre.. Estava com saudades do seu cantinho... agora vou ler todas as novidades.. ;D
BJokkkkks linda!!

Não creio em evolução
Só em mutação
Mas sua melhora
É coisa de quem se assenhora
Do seguir pelo caminho
Do saber saborear cada vizinho
QUe aparece
Saborear quem lhe apetece
Afinal, se o peito padece
E se nem tudo que reluz é ouro
Ainda pode ser um estouro
E ainda cabe alguma prece
Que sois como vinho
Cada vez mais saborosa...

E que essas sensações (as vezes chuva, as vezes sol), continuem deixando esse seu sorriso e esses seus olhos um norte de inspiração!
Beijos

Oi Bianca,

belo texto. Em particular,
fascinante o teu estilo racional,
discreto, (auto) crítico e
humanisticamente sensível.

Agradabilíssima leitura.
Evoluí como leitor e como pessoa.
Assim como evolui nossa cidadania
(via blog do Nassif: o notável que
trouxe-me de encontro à tua
poesia).

Meus sinceros parabens!

Este comentário foi removido pelo autor.

Um equílibrio frágil e estreito no vão da razão.
Doutrine-se na transfiguração. O próximo gesto é sempre um novo , virginal e mais requintado gesto...
Pois lhe saúdo o seu regresso...

Xaxuaxo

E a gente amadurece, e aprende...

PS: a coisa não é ruim,só me é diferente (sobre meu texto/seu comentário)

beijos

Feliz com seu retorno,BIANCA.
beijos e um otimo final de semana à vc

estava com saudade daqui.
este teu texto, esta tua reflexão é linda, sincera e tocante... nos chama pra vida, nos chama a olhar pra vida... quando tempo perdemos imaginando o grande sonho, o alcançar do grande sonho e quando isto não é possível nos frustramos, achamos que o viver não valeu a pena... mas a vida é esta pra nós e pra todos os outros... talvez alguns outros, abençoados com a fatalidade tenham um pouco mais de ir e vir... nada muito além disto, mas no dia a dia a vida se desenrola se não desta maneira como sabemos...
beijo
*e concordo contigo, antes que a coisa se perca é melhor por fim, mas poucos conseguem isto... preferem tirar um sono abraçados com a medriocridade.

;)

Saravá!

Obrigada pela visita!!!!


"Aprender, aprender sempre!"

já te linkei lá no meu espaço;)

beijinhos

Quando olho para meu passado encontro uma mulher bem parecida comigo – por acaso, eu mesma – porém, essa mulher sabia menos, conhecia menos lugares, menos emoções.
Lindo,lindo,lindo!!!
Chorei lendo seu post muito lindo!!!
Saudades daqui também,ando numa correria sem fim!afff
Vou te adiconar no orkut sim agora!!
Bjos geminiana e luz!!

adorei...
aliás, como não?,
você é m.a.r.a.v.i.l.h.o.s.a.

que bom que voltou;

b.e.i.j.o.s.

lindo texto, Bianca!
estava com muita saudade de ler teus escritos.. que bom que voltaste.. espero que não se vá novamente..

Oi Bianca,

alguns sonhos devem ser adiados justamente por algumas lacunas ainda não preenchidas no nosso espírito. Aprender e evoluir traz essa paz toda que você demonstrou. E não duvido que seu sucesso está batendo à porta. Se é que já não chegou, ainda que sorrateiramente.

Beijo

Belo texto. Lembrei-me de Voltaire, em "Candide": "Il faut voyager". Ou de Stevenson, nas deliciosas aventuras de um herói (hm... trapalhão? sábio?) que viajava com sua jumentinha, Modestine: "I travel for travel's sake". Viajar para fora é viajar para dentro. Necessariamente. Overseas, living inside myself, a vida prossegue. E o principal objetivo - que você atingiu e descreveu maravilhosamente - é o amadurecimento.
Abraços fortes!

Oi, Bianca!

Eu tô por aqui, sempre no meu blog, moça.

Estar em dia com a própria história. Se estiver fazendo o bom de vc ( o bom, o melhor é difícil...), estar em dia com o tempo de Deus também...
Ótimo, não acha?!


Um beijo,


Marcelo.

Viver bem com pouco, hoje já é muito.
E este ciclo vicioso de estarmos buscando sempre o maior, melhor, o grandioso, cansa. É preciso ter esperança, mas contudo, termos a humildade para aceitarmos o mais simples e crescermos como pudermos com o mesmo. Os dias parecem sempre iguais, passando cada vez mais rápido e os fatos sempre podem nos causar sensações diferentes que nos ensinam, e a diferença, está implicita em quem soube viver o mesmo de forma diferente.

Beijos!

O bom da vida é que ela sempre acontece e faz com que a gente vá junto...

O retorno de Bianca!

Sempre desenvolvendo sua simplicidade mágica.

Grande abraço!

lindo! Abraços poéticos
http://almalesma.zip.net

"A maioria viveu o que podia ter vivido" - E isso é ótimo.
O pior é poder viver e rejeitar, não é mesmo?

Lindo seu texto!
Beijo!

Passando para te desejar uma ótima semana...bom te ver de novo no meu blog!

Bjos mil...!

"grandes sonhos" infelizmente é só uma força de expressão;

é isso ai, infelizmente mesmo.

Não qie o que é melhor, te ler ou... te re-ler.

b.e.i.j.o.s.

Bianca,
Louvável esse teu texto, a sua sabdoria, sua racionalidade deveras inteligente! Olha, assim como já li mutas coisas ruins por aí nessa virtualidade toda, já li coisas boas. Mas confesso que não tinha lido um texto que me colocasse com o astral tão lá em cima quanto esse seu. Me edificou, sabe? E foi lindo demais essa sua saudação ao simples, ao sutil, ao conhecimento. Me edificou, aprendi com suas palavras. E que tamanha gratidão eu sinto, Bianca!
Obrigado!
Bjos mil,
Ziggy

Beijo de Paz.

Marca de que por aqui uma vez mais passei.

Retorno devastador, Bianca! Estar vivo é um fatalidade e seria uma tragédia se se anulasse. Veja mais filmes, leia mais livros e escreva mais textos tão sublimes quanto este!

Beijos!

''e já não é uma fatalidade suficiente estar vivo?''
Com certeza

Mas também é uma arte, sempre sai um poquinho da gente e entra algo melhor, claro!
Essas mudanças, evoluções, são ótimas, sempre é tempo de reflexão.
Eu também evolui nesse tempo que fiquei em OFF, só estou enferrujada pra escrever! rsrsrs
Chorei, ri... e nem bati na trave, pois não consegui ir ao local da luta.. Mas tudo bem, que venha em paz o que o futuro trouxer!
xD

Beeeeeijãããooo!

PS.:Tava com saudades enooormess!
^^

Perfeito seu texto.
Estava com saudade de ler isso aqui.
Que bom que estás de volta.
Resolveu a capa do livro??


e eu também quero viver melhor com as coisas simples da vida.

Este comentário foi removido pelo autor.

Querida Bianca queria lhe convidar para visitar um cantinho que estou criando aos poucos, espero sua visita, abraços Anísio.

Saudade de ler-te... então, em meio aos arabescos da fumaça do cigarro e dos pensamentos, aguardo seus novos lampejos de inspiração!
Beijos

Olá, Bianca. Minha primeira vez por aqui. Impossível ler esse seu texto e não comentar o quanto ele é acertado. Há uma certa mitoloigia nos feitos das pessoas, que demonstram uma vida sempre mais rica e proveitosa que a nossa. Achei o seu texto muito bom, pois trata da vida dentro de suas limitações, aproveitando até onde se pode, na expectativa que o tempo venha nos dar mais sabedoria ou conciência para fazer melhor sempre. Abraços.

Ah, Bianca, involuir não é nada trabalhoso... Conheço uma penca de gente que se recusa a aprender com a vida... Mas, feliz de quem aprende! De quem aceita as suas lições com essa serenidade que vc demonstra!

Beijos

euescrevo
livros
::Textos meus inéditos ::
noorkut
linkssobre
enciclopédia
videosinteressantes
sitesculturais
outrostextos
sertaoveredas
"O senhor... Mire e veja: o mais importante e bonito, do mundo, é isto: que as pessoas não estão sempre iguais, ainda não foram terminadas - mas que elas vão sempre mudando. Afinam ou desafinam. Verdade maior. É o que a vida me ensinou. Isso que me alegra, montão".
(Guimarães Rosa)
caio-fernando-abreu
"Dentro de mim guardo sempre teu rosto e sei que por escolha ou fatalidade, não importa, estamos tão enredados que seria impossível recuar para não ir até o fim e o fundo disso que nunca vivi antes."
Clarice-Lispector
"Quero morrer com vida. Juro que só morrerei lucrando o último instante. Ah... como quero morrer... mas nunca morrer antes de realmente morrer."
Nietzsche
"Há sempre alguma loucura no amor. Mas há sempre um pouco de razão na loucura."
Paulo-Leminski
Que tudo se foda, disse ela. E se fodeu toda.
Mario-Quintana
"As reticências são os três primeiros passos do pensamento que continua por conta própria o seu caminho".
Mario-Quintana
"Os males do mundo toda a gente sabe! Os meus... ninguém... A minha dor não cabe, nem nos cem milhões de versos que eu fizera..."
nelson-rodrigues
"Se cada um soubesse da intimidade sexual dos outros, ninguém cumprimentaria ninguém.
Bianca Feijó em seu site







Blog Bianca Feijó