________________________________________________________


Às vezes permanecia assim - no silêncio, amando-se no sossego com tanto amor como antes se amava no escândalo.

Quase analfabeta de si mesma, sem vocabulário.

Incansável em sua introspecção cada vez mais ampliada.


Sabia pouco a respeito, ou sabia de um jeito não científico.

Sentia necessidade de explicar ao ninguém, que é mais fácil assim, não dando nome as coisas.


Porque alguma coisa dentro da gente, sempre sabe exatamente quando termina – ou quando começa;
o que quer – e o que não quer.
.

.

Tendo a certeza absoluta que alcançou qualquer coisa próxima de uma sabedoria inabalável.




53 Comente Aqui:

Bianca,

"Assim" me fez lembrar de minha mãe...
Ela era bem "Assim"...
Obrigado pela emoção..
bjos.w

que texto leve menina, daqueles fácies de ler...

beijos

analfabeta de si mesma...

eis a percepção da calamidade pessoal.

S.M.A.C.

É assim que tu nos encanta, textos leves, na medidade certa de conteúdo e tamanho,ou melhor, o conteúdo sempre elevado.

Depois que li ainda fiquei uns segundo absorvendo as palavras, bom D+.

bjs

Claro, não poderia deixar de elogiar a imagem sempre condizente com que escreves.
Em tudo, é tudo mais do que bom.

Os abalos
São sísmicos
Placas tectônicas num mar de lava
Não adiantam os ficos
Ou a certeza dos mímicos
Os cavalos continuam calados
Independentes de quão fundo se cava
E mesmo assim magníficos
Pégasus alados...

Oi, Bianca!
Este é o texto do samadhi ( pergunte à Mirze, que já está aprendendo sânscrito...), do estado de contemplação na meditação yogue. Conhecer-se a si mesma melhor no silêncio ( ou tanto quanto) do que no "escândalo", é escandalosamente avançado para nossos maus hábitos de consumo enfurecido, onde "quanto mais nos movimentamos e somos desejados em nossos movimentos, mais achamos que sabemos algo de nós, porque aparentamos valer mais, para os expectadoresd e , como reflexos, para nós mesmos...". Um texto contemplativo de verdade ( not fake), enxuto e bem escrito.

beijos,

Marcelo.

Bi,

Um dos melhores textos que já li.

Tu me deixaste quase analfabeta de mim mesma, sem saber o que te dizer.

bjsss

é assim mesmo. a gente sempre sabe quando acaba.

abraço, Bianca

Este comentário foi removido pelo autor.

Quase analfabeta de si... bela descrição!

Beijo!

"sabia de um jeito não científico."
adorei esse trecho.

é como se fosse a primeira vez que havia feito essa descoberta, e essa descoberta fosse a mais importantes de sua vida.

é como um sentimento

Beijao!!

"Tendo a certeza absoluta que alcançou qualquer coisa próxima de uma sabedoria inabalável."

Certos dias, me sinto exatamente assim. Aí eu sei que valeu ter dia mentalmente cansativo.

Beijo!

Lindo e profundo Bianca. Com certeza está muito mais próximo da sabedoria, quem mais penetra no "silêncio" e não faz disso uma bandeira.
Amei!!!!
Parabéns!
Beijos
Mirze

"Porque alguma coisa dentro da gente, sempre sabe exatamente quando termina – ou quando começa;
o que quer – e o que não quer."
é isso ai....
A-D-O-R-E-I!
Nosso dia tá chegando!!rsrs
Bjos
.

Tenho um texto antigo que tem exatamente essa frase: "quase analfabeta de si mesma".

Coincidência ou destino?

Beijos.

Texto muito bom...
Boa arquitectura de Blog.

Voltarei.

Beijo.

Mulher!!!!!!!! Amei!

vou te linkar com certeza!! adorei teu blog! muito mesmo!!

Textos belos.. gostoso de ler..

beijocas!

josiane moreira disse... 16 de abril de 2008 19:24  

Faz tempinho que não vinha até aqui.

Tu não cansa de me impressionar.
Texto es.plen.do.ro.so.
Porque sempre sabemos!

bjxx

josiane moreira disse... 16 de abril de 2008 19:27  

Esqueci:o site está lindo,com um grande toque de acuidade.
bjxx

Aprendi que não posso exigir o amor de ninguém. Posso, apenas, dar boas razões para que gostem de mim e ter a paciência para que a vida faça o resto…

William Shakespeare

Como sempre... Encantada com seu espaço!

Ternos Beijos

Olá!

Tem coisas que só fazem sentido dentro de nós...e quando nos tornamos analfabetas de nós mesmas parece que estamos caindo, e o chão demora à chegar.

Belíssimo texto...gostei muito!

Beijos mil...boa semana

"Porque alguma coisa dentro da gente, sempre sabe exatamente quando termina – ou quando começa;
o que quer – e o que não quer."

Eu também sempre achei isso; o problema é que por mais que no fundo, no fundo saibamos "das coisas", o mais difícil é expor estas tais coisas.

Lindo o texto.
Beijo!

adorei o texto... Estou quase analfabeta de mim estes dias... hehe

O blog ficou M.A.R.A.V.I.L.H.O.S.O

Agradeço a visita, e fico satisfeito que tenha gostado do meu humilde blogue. hehehe

Só pra não deixar passar, uma coisa que me interessou no seu post foi a última frase: "Tendo a certeza absoluta que alcançou qualquer coisa próxima de uma sabedoria inabalável".
A certeza de algo incerto deu um efeito interessante.

"Sentia necessidade de explicar ao ninguém, que é mais fácil assim, não dando nome as coisas."

Perfeito.

E, assustado, sou levado a lembrar de ninguém.

(...) Talvez, agora, já não seja mais tão fácil.


Lindo texto, menina.
::Beijos::

Dentro de nós, sempre ficam maiores certezas quando as colocando para fora, é que nos surgem as dúvidas, conhecer a nós mesmo, é um grande mistério, melhor fazê-lo no silêncio, do que no escândalo que onde chamamos atenção para defeitos a serem corrigidos, ou que acabam esquecidos pode ser supervalorizados.

Belo texto!

Um beijo querida...

Querida amiga, gostei muito de ler os teus trabalhos em geito de prosa, poesia e teatro.
Sabe bem ler ideias e pensamentos que podem ser reais ou aqueles que a nossa imaginação cria para nos emocionar.
Falaste de Nietzsche, o filósofo que expõe a filosofia da VONTADE.
Gostei do pensamento dele sobre a locura e a razão.

Beijinhos e volta sempre.

Sabe...esse analfabetismo de nós mesmos é a grande mágica da vida...gostei muito dos textos, brilhante e olha que tenhos vistos muito blogs viu...estou pensando em fazer uma pesquisa sobre a literatura feita na blogosfera...com certeza vc vai está presente...obg pelo comentário, fiquei lisongiada..bjoss!!

Lindo isso moça, essa busca e capacidade de auto-compreensão, e essa tua sensibilidade e talento com as palavras. Muito bonita você, tuas e idéias e sentimentos.

Beijos.

Uma das virtudes da boa literatura é traduzir sentimentos que todo mundo sente, mas não consegue descrever, sobretudo com a beleza que Bianca consegue.
Beijos e continue escrevendo sempre.

"Sabedoria inabalável"... Isso implicaria o conhecer todas as respostas. Conhecer todas as respostas pede que se conheça todas as perguntas. Não acredito que conheço tanto.

Eu sei algumas coisas, das coisas que vejo, mas as coisas mudam, e volto logo à ignorância.

Eu tentaria estudar, mas não saberia como.

Apenas, quando minhas intenções, racionais/instintivas/emocionais que sejam, se afloram: não as nego.


p.s. - Removeu a foto, moça? Ela não condizia mais com o que você queria dizer?

Bianca ,

Um renascimento sistêmico, uma mega nova Vida, um lugar no nada e a nada se sujeitando.
Claro que é um show tudo o que se lê por aqui , mas é muito mais , é maior do que nosso próprio vão entendimento nos cabe.
E quer saber mais , adoro tudo isso !!

Um beijo forte .

Vc andou lendo clarice esses dias?!? esse post parece ter influencias dela...
Adoravel como sempre!

bjs, moça!

Ainda não conhecia o seu blog... é lindo! Obrigada pela visita, volte mais vezes ao cinco espinhos.
Beijo.

Sempre me perco em suas palavras.
Gosto tanto!
bjs

a riqueza das imagens de Bianca feijó..
encantadora.

Gostei do texto, senti uma linguagem introspectiva lispectoriana e rosiana. Tanto o Rosa como a Lispector exigem parar para pensar, eles não são leves. E você adicionalmente força as paradas como diversos parágrafos...
Beijinhosss

quanta coisa se pode dizer nas entrelinhas, né Feijãozin?

beijo!

Parabens,Bianca. Gostei muito.

Beijos e otimo fds!

Há silêncios mais loquazes do que discursos labirínticos!

Genuinamente lispectoriano: "Quase analfabeta de si mesma, sem vocabulário."

Continue escrevendo entre desabafos e mutismos.

Beijos!!!

"Um poço da morte" silabado, a semântica como a máquina que gira,
a fluida verve pensante como pista,
e só de olhar fiquei ligeiramente tonto.

Poço da morte= aquele espaç onde alguém montado numa máquina dá voltas e mais voltas e vocé de cima a observar.

Inspirador seu texto!

é verdade, querida, nós sempre sabemos o que fingimos não perceber!!!!

beijos e bom feriado,

MM.

www.vandrefernando.blogspot.com

Maringá, Comportamento, Artigos, Politica, Classificados, Pessoal e Variedades. Contato: (44) 9113-2799 vandre_fernando@hotmail.com

Sua visita e sugestões no meu Blog, são fundamentais para deixá-lo melhor sempre.

Aguardo sua visita.
abç

Você me deixou ASSIM: sem saber o que dizer...
rsrsrs

Lindoooo!

"Porque alguma coisa dentro da gente, sempre sabe exatamente quando termina – ou quando começa;
o que quer – e o que não quer"

A-M-E-I

E muito a boa a escolha da foto da LARA, ela tem cada click perfeito!
;)


BeeeeijOOoOo!!!

Esse certamente é um texto P.P.P.
Profundo, pensativo, perfeito...

Parabéns...

Aparece no meu também:
www.desarranjosintetico.com.br

A tal sabedoria inabalável...
Quando iremos alcançar isso heim?
Com a idade?
Com mais experiência ou isso não passa de mais uma lenda urbana ou alguma dessas promessas que a vida nos faz e nunca cumpre?
Prefiro saber apenas que nada sei...

Beijos meus, mocinha

querida________Bianca




________dentro



de nós




.habitam__certezas absolutas




que





se manifestam




numa pura erudição

_______inquestionável




.os sinais




a_______seguir







belo texto!







=voltei de férias=:)







beijO_____carinhosO

Assim é você Bianca. Talentosa, dona da escrita, dos belos textos, precisos, cirurgicamente precisos.
Assim está seu blog: belo, porquanto sua beleza está estampada nele.
Assim é você: d.e.s.a.f.i.a.d.o.r.a
E nossos corações que agüentem tanta emoção assim.
Beijos da Loura.

humildemente...adorei tudo por aqui.
adorei a história da rua onde nasceu a poetisa.
eu nunca mudei de casa. a samambaia desde sempre está pendurada no mesmolugar.
mariah

pois eu ando analfabeta de mim mesma...
adorei, Bianca!


Um beijO!

Esta lindo o teu blog, vejo que fez algumas mudanças também, ficou muito bom!!
Mais uma vez "passando", sabe como é né? graças a Deus estou com meu dias bem mais uteis agora, e sempre corridos, mas logico que não podia deixar de vim visitar teu blog e te agradecer a visita no meu.
Um abraço.

Essa certeza incerta de nós mesmos é fantaástica né? Belo texto, amo passar por aqui...Bjooo

euescrevo
livros
::Textos meus inéditos ::
noorkut
linkssobre
enciclopédia
videosinteressantes
sitesculturais
outrostextos
sertaoveredas
"O senhor... Mire e veja: o mais importante e bonito, do mundo, é isto: que as pessoas não estão sempre iguais, ainda não foram terminadas - mas que elas vão sempre mudando. Afinam ou desafinam. Verdade maior. É o que a vida me ensinou. Isso que me alegra, montão".
(Guimarães Rosa)
caio-fernando-abreu
"Dentro de mim guardo sempre teu rosto e sei que por escolha ou fatalidade, não importa, estamos tão enredados que seria impossível recuar para não ir até o fim e o fundo disso que nunca vivi antes."
Clarice-Lispector
"Quero morrer com vida. Juro que só morrerei lucrando o último instante. Ah... como quero morrer... mas nunca morrer antes de realmente morrer."
Nietzsche
"Há sempre alguma loucura no amor. Mas há sempre um pouco de razão na loucura."
Paulo-Leminski
Que tudo se foda, disse ela. E se fodeu toda.
Mario-Quintana
"As reticências são os três primeiros passos do pensamento que continua por conta própria o seu caminho".
Mario-Quintana
"Os males do mundo toda a gente sabe! Os meus... ninguém... A minha dor não cabe, nem nos cem milhões de versos que eu fizera..."
nelson-rodrigues
"Se cada um soubesse da intimidade sexual dos outros, ninguém cumprimentaria ninguém.
Bianca Feijó em seu site







Blog Bianca Feijó