Descem as mãos

...D

......E

.......S

......L

....I

...Z

.A

M

.

.

Ele...

Era fim de tarde, uma exposição bacana; Escher, gosto muito do trabalho dele, muito louco, surreal, criativo demais.
Fiquei disperso no salão ao sentir a presença de uma mulher muito interessante que cruzou o caminho entre mim e uma jovenzinha. Não dava para não sentir o seu delicioso perfume que deixou um rastro por onde ela passou. Afastei-me para a bela morena seguir seu destino ao mesmo tempo em que não queria me afastar, mas ficar ali, próximo de seu perfume. Não só a fragrância feminina me desviou o olhar, pois acompanhei com meus olhos masculinos e atentos, o seu olhar verde olhando rapidamente para os meus, de mel. Virou-se de repente, sem me avisar, e olhou para mim, num relance de um segundo.
Minha mente já pensava em abordá-la, mas achava besteira, me sentia um adolescente que nunca tinha visto uma mulher bonita, mas era algo mais forte, não sabia explicar, só sabia sentir.
Entrei no corredor e me pus diante de um quadro que já tinha visto duas vezes e fiquei ali até esperar para ver se ela passava perto de mim, mais uma vez; sim, ela vinha, pareceu que não havia me notado, até que vi seus olhos, de longe, fixados em mim por um tempo maior que o anterior. Fiz o mesmo. Parei meu olhar naqueles lindos olhos verdes que tinham distraído meus interesses culturais.
Senti-me alterado naquele lugar onde, naquele momento, estávamos somente eu e ela. Dois corpos, duas mentes e, a princípio, só um desejo, o meu de sentir aquele charme mais perto de mim.
Ficou ao meu lado, diante de outro quadro. Dava vontade de abordá-la, mas eu perdera todos os argumentos de tão forte a sensação de estar preso, dominado, obcecado por uma mulher que eu mal sabia de suas intenções. Pude ver seus olhos me encarando,ela sai , indo em direção ao corredor. Ela passa por mim e nem me olha. Vou atrás, sim, meu desejo era de que ela sentisse meu calor.
Poucos metros atrás dela estava eu. Ela pára, sem avisar, no meio do corredor em frente ao quadro.

Ela...

Ele estava se aproximando! O moreno que me chamou atenção ao chegar, aquele belo homem de traços fortes e um olhar; o olhar que me tirava a concentração, a retina e o córtex cooperavam perfeitamente vendo a imagem daquele moreno com barba por fazer e cabelos desarrumados.
Sinto sua respiração em minha nuca, ele chega por trás de mim e fecha minha boca com a sua ganhando território enquanto roubava meu ar. Respirando forte com os dedos no meu cabelo, me prende com seus braços contra a parede, tentando conquistar centímetro a centímetro de mim; deixando as mãos escorregarem como se tivessem vida própria, tentando perceber que novidades trazem para ele.
Não podíamos ficar ali, resolvemos ir quase caindo um sobre o outro num espaço vazio.
Ele tira minha blusa, empurra a alça do meu sutiã com a boca mesmo, só pra não ter que desencostar da minha pele; então eu tiro sua camisa e começo a beijar seu pescoço indo para cima, voltando abaixo. Minhas mãos, desnorteadas, sem saber o que fazer, querendo tocar tudo ao mesmo tempo.
Sua respiração, mistura com a minha; as reações que provoco nele são quase um delírio, seu coração saindo pela boca, seus pêlos se arrepiando, uma mistura de desejo e minhas reações a flor da pele.
Seguro seus cabelos, com um desejo de entrar dentro dele e fazer de nós somente um; começo a senti-lo entrando devagar, dentro de mim.
Ele se controla ao máximo possível para aproveitar cada centímetro, cada segundo.
Pára tudo,nos afastamos, ouvimos passos, passaram perto e seguiram adiante; ele me olha um pouquinho distante, e vem me beijando, apertando meu corpo, não deixando nada para trás; neste momento era como se o tempo, ou a lei da gravidade, ou a física ou a lógica não importassem mais, e tudo fosse eu e ele...
Um sussurro, e, sim, seu liquido se mistura ao meu.
Depois de tudo, encostamos-nos à parede, esperamos o coração desacelerar, o corpo pára de tremer e a respiração voltar ao normal.
Por um instante, uma faísca de dúvida. Mas sim, ele estava vivo.
Pensei então na grandiosidade daquele momento, na importância das coisas que só acontecem uma vez. Sem repetições ou ensaios.
Poderia mesmo dizer que ele parecia ser feito para mim, para aquele instante do dia.
Faltava pouco para encerrar a exposição, resolvi então me despedir, me despedi de qualquer tipo de pensamento, e pousei toda a atenção no peito indo e vindo… Indo e vindo como algo que não consegue ir embora.



Este texto foi escrito em parceria com o escritor João Aranha ;


Ele= escrito por João Aranha

Ela= escrito por Bianca Feijó

18 Comente Aqui:

Adorei! Ficou muito bom mesmo, querida. Sua escrita envolve os outros, flui de uma maneira sensual e envolvente, forte e rica, quente e reflexiva...a junção ficou interessante, mas isso eu já tinha dito...rs.
É meio estranho escrever sobre um texto onde eu estou no meio dele...rs, mas, me ausentando um pouco das linhas, o seu dom, como já disse, deve ser continuado sempre. Tens a fluidez digna de uma ótima escritora e que, com certeza, já sou fã.

Obrigado pelo convite. Adorei a experiência.

Um grande e especial beijo pra você.

João Aranha

Américo de Souza disse... 6 de outubro de 2007 12:09  

Texto, denso, fluindo naturalmente e levando o leitor homem a sentir as sensações que se espera esteja vivendo o personagem passivo. Texto adulto, erótico sem ser pornográfico, muito bem escrito. A ilustração está ótima e sua sinuosa legenda lateral complementar (mas que se transformou em legenda principal) está genial.

Josiane Moreira disse... 6 de outubro de 2007 22:28  

Que sinergia!
Texto muito envolvente, não dá vontade de parar de ler, continuem, o que aconteceu depois da exposição?
Bárbaro, sensual, faz com que o leitor viaje com os personagens.

;D

as palavras fluem por aqui, dona Bianca.
gostei tb da referência ao Humberto Gessinger.
obrigado pela visita no espalitando. voltarei aqui mais vezes.

abraço

Lindo, lindo, lindo.
Parab�ns � esta menina que posta na madrugada

Impressionante a sensualidade pura que ressumam neste texto.
Meus parabéns pelo elevado senso de percepção ao prender o leitor a sua escrita.
Abraços,
Wunderlich

Gostei muito, ficou muito bom mesmo, continue assim!!! Bjs... Jr...

Agradecendo a visita e aproveitando pra conhecer seu blog.
De cara já gostei do post, sensualidade e sintonia na medida certa.
Bjos e linda semana!

Parabéns para o texto em duo, muito cálido e sensual sem ser vulgar. Para a próxima vernissage, talvez convidem o casal protagonista a repetir a perfomance de tirar o fôlego e de atar a atenção.

Saudações siderais!

Esplendido, permitiu-me antever a cena do casal. Espero que escrevam mais textos assim, um texto que daria uma bela continuação de um livro, mas contentamos em lê-los aqui.
Pensem em um filme também!
Parabéns ao casal.

Não disse que voltava!
Que texto erótico lindo,fiquei um pouco inquieto depois de ler.
Gostei daquele do ônibus também e concordo com os loucos.
Seu banco de imagens é algo incrivel,condizem muito com os textos.
É muito bom vê-la por aqui lindona!
MARAVILHOSO!MARAVILHOSA!
Bjs
Rapha

Que texto mais lindo!
Excelente idéia de postar 2 pessoas juntas... Ficou pura sensualidade. Envolve na medida certa!
Adorei o seu blog! Tudo lindo por aqui...
Vou te linkar e voltarei mais vezes...
Bjão!

Taquiuspariu!

Já ia comentar da foto, que tive que minimizar porque leio os blogs aqui no trabalho. Mas lendo o texto... principalmente a tua parte... definitivamente, não é texto pra ler em um ambiente coletivo de trabalho.

... e digo isso como quem rasga elogios. Quem sabe te releio em casa?

beijo.

outra coisa: te adicionei lá no meu blog, visse? Mas depois de vc ter me dito da brincadeira do pessoal com teu nome quando vc era mais nova, não resisti em botar uma pilhazinha de leve também...

outro beijo.

Ebaa.. consegui comentar aqui.. meu comp deve estar com problema. Já te disse no orkut né? Este texto é maravilhoso!!! Parabens pra vc e pro Joao Aranha..
Eu atualizei meu Blog hj, se quiser dar uma olhadinha.. e eu te linkei..
Beijaoooo querida!!!!

Ficou linda a parceria!
Tá lindo teu Blog!
Adorei a idéia dos direitos autorais no menu, até criei um mini texto pro meu...hehehehe
Bjos Bianca!

Bonito de se ler. adorei

euescrevo
livros
::Textos meus inéditos ::
noorkut
linkssobre
enciclopédia
videosinteressantes
sitesculturais
outrostextos
sertaoveredas
"O senhor... Mire e veja: o mais importante e bonito, do mundo, é isto: que as pessoas não estão sempre iguais, ainda não foram terminadas - mas que elas vão sempre mudando. Afinam ou desafinam. Verdade maior. É o que a vida me ensinou. Isso que me alegra, montão".
(Guimarães Rosa)
caio-fernando-abreu
"Dentro de mim guardo sempre teu rosto e sei que por escolha ou fatalidade, não importa, estamos tão enredados que seria impossível recuar para não ir até o fim e o fundo disso que nunca vivi antes."
Clarice-Lispector
"Quero morrer com vida. Juro que só morrerei lucrando o último instante. Ah... como quero morrer... mas nunca morrer antes de realmente morrer."
Nietzsche
"Há sempre alguma loucura no amor. Mas há sempre um pouco de razão na loucura."
Paulo-Leminski
Que tudo se foda, disse ela. E se fodeu toda.
Mario-Quintana
"As reticências são os três primeiros passos do pensamento que continua por conta própria o seu caminho".
Mario-Quintana
"Os males do mundo toda a gente sabe! Os meus... ninguém... A minha dor não cabe, nem nos cem milhões de versos que eu fizera..."
nelson-rodrigues
"Se cada um soubesse da intimidade sexual dos outros, ninguém cumprimentaria ninguém.
Bianca Feijó em seu site







Blog Bianca Feijó