_________________________________________________________



Respiração angustiada, e continuava escutando seus passos.
Poderia ouvir sua voz de criança.
Não voltou por curiosidade à rua de sua infância, mas pela notícia que teria sido tombada a casa onde nascera seus poemas.
Enxergou a cozinha e a sala onde ficava a samambaia.
Não se interessou por nada do que viu no trajeto, talvez porque estava tudo tão diferente.
Rua deserta, casas e prédios abandonados, cheio de putas, bares e mendigos.
Não havia esse terror que agora a rodeava, e estava impassível demais a isso para se assustar com tudo que encontrara.
Percorreu apenas meia quadra para chegar até a livraria de vitrine empoeirada, com vidros quebrados, cujo nome em inglês só agora foi capaz de compreender.
A imagem que se formou dela quando a viu perambulando pela rua foi capaz de tirar um sorriso – o que não permitiu tirar a saudade infantil.
Foi arrastando as pernas desajeitadas que era tão segura a sua indiferença pela rua que poucos dias antes era apenas a rua de sua infância.
Não conseguia ir embora, e até agora ela ainda não foi – porque naquela rua crescera a poetisa deslumbrantemente desastrada, e por isso, agora, os trás aqui.



____________________________ . . .



"Se essa rua se essa rua fosse minha, eu mandava eu mandava ladrilhar..."

48 Comente Aqui:

Eu tenho essa mesma nostalgia pela rua da minha infância.

beijos

A cada texto da vontade de conhecer mais de ti.
Seus textos sempre são uma caixa de supresas.Aqui nunca se encontra apenas um estilo.
Este foi de palavras que com certeza remete a todos ao seu tempo.
Maravilhoso!
bjs!

A imagem também esta perfeita, parece que o texto foi escrito para ela, ou vice e versa.

Saudades de casa moça?!? Eu moro no memso lugar há mto tempo, mas tenho saudades da minha infancia... da época q não tinha uma favela no meio da minha rua, de quando não tinha vazamento de esgoto por aqui, de quando a escada era cercada de flores cultivadas pelas moradoras...

Saudades do q foi bom!

Ah, quanto a msg do cod, não teria problema se vc usasse a mesma, boba! rsrsrs (eu morri de rir quando vc comentou isso lá no blog...)

bjim, menina

Tudo que é de concreto, com o tempo se vai.

Seria uma pena é perder a mesma rua que ficou por dentro:
Aquela do faz, desfaz, e refaz,
De muitas e mais vivas cores,
Dos dias tão lindos de festa,
Dos amores pra sempre amores,
Lá eu posso pra sempre morar.
Minha rua está sempre comigo,
E por nunca perdê-la de vista,
Nunca mais eu preciso voltar.

Não perdi nada dali. ;)


p.s. - Essa cantiga é muito bonita, adorava.

Esclarecendo: A cantiga do final do seu post. Não há cantiga no meu comentário...rs

BEIJOS, Miss Blogger

ESsa rua
Tão sua
Tão nua
Essa lua
Se insinua
Pelos meus sentidos
Sentido
Sem tudo
Sim
Tudo...

Ao ler o texto fiquei viajando e imaginado a rua, as casas, as putas encostadas nas paredes e a sensação de reviver tudo outra vez!

Fiquei bastante emocionada!

Imagino tu ao escreveres.

beijo lindona.

...com pedrinhas com pedrinhas de brilhante,só pro meu só pro meu amor passar.

Tudo perfeito,a imagem, com o texto, com a cantiga.

p.s eu não consigo escrever só uma vez hehehe

Lindo, Bianca! Realmente emocionante. Acho que parei várias vezes lembrando da minha rua de infância. Você conseguiu com palavras, entrar no íntimo passado de cada um, eu acho.
Parabéns
Beijão
Mirze

Olá!

Nostalgia de vez em quando é bom... ainda mais quando relembramos momentos bons. Por mais que tudo esteja mudado, que a vizinha amiga não more mais lá e que tenham asfaltado a rua, ela sempre estará ladrilhada de nossos sonhos, nossas recordações. Gostei muito do texto!

Ah, obrigada pelo comentário. Sinta-se livre para passear pelas esquinas do meu blog sempre que quiser ok?

Bjos mil

Lindíssimo o que você escreveu, saudade e infância, são duas coisas que com certeza combinam e andam lado-a-lado, para todos aqueles que pela infância já passaram...
...Cultive essa saudade, e seus delírios, saudosos, nos remeteram a quem é você, suas sensibilidades...


Um beijo grande querida. A.M.E.I (RS)

Hello I just entered before I have to leave to the airport, it's been very nice to meet you, if you want here is the site I told you about where I type some stuff and make good money (I work from home): here it is

muito bom!

muito bom!

as pernas ficam bambas mesmo quando passo por uma velha praça.

abraço, Bianca

É muita emoção rever os lugares queridos de nossa infância...confesso que evito visitar a rua onde morei e os lugares onde brincava...quero poupar meu coração...
beijos,
Denise Miranda

É muita emoção rever os lugares queridos de nossa infância...confesso que evito visitar a rua onde morei e os lugares onde brincava...quero poupar meu coração...
beijos,
Denise Miranda

Olha eu de novo!

Passei por aqui pra dizer q a sua crônica me inspirou a escrever uma também!

Se vc quiser ler, está nesse endereço
http://recantodasletras.uol.com.br/cronicas/919113

Bjos mil

Me amarro em ruas com putas, bares e medigos.

Teu blog tá bombando, hein nega???

beijos, Feijãozinho!

visitar o passado é sempre uma experiência incrível...

oi querida! que texto bom...
dá uma melancolia doce, de saudade, de nostalgia... uma delícia!

um beijo!

josiane moreira disse... 27 de março de 2008 21:45  

Bi, é a rua da nossa infância.
Fiquei muito emocinada com que tu escreveu, é uma linda homenagem, talvez a melhor que se pode fazer.
Bjxx

Ah não...não coloque putas no seu texto, isso foi o que estragou, não foi vc. SEJA vc. não se deixe levar pelos contos que já leu. Tenho um titulo para um próximo conto: amor além da vida.

lordstuqui, porque vc acha que a Bianca não está sendo ela? Vc acha que ela não deve se deixar levar pelos textos que lê, mas deve se deixar levar pelo que VOCÊ acha que ela é?

Não sei se você a conhece tão bem assim. Não sei nem se ela se conhece tão bem assim. Mas só há uma maneira de se conhecer: é se explorando, principalmente subjetivamente - como ela faz no blog. não tente tirar essa liberdade das pessoas.

Feijãozinho, ontem quis mandar teu texto pruns amigos mas vi que vc bloqueou a cópia. Hoje li o blog da Rackel e entendi todo o "bafafá" que rolou. Pessoalmente, não acho que bloquear seja a melhor saída, porque muitas vezes leio algo interessante e encaminho pra outras pessoas, com o devido crédito e link. acho que bloquear impede a circulação da produção artística, e isso não pode ser bom, né?

Enfim, se vc achar tranquilo, manda pra mim por email o texto da rua, e saiba que o teu direito autoral estará preservado.

No mais, um beijo pra ti e um delicioso final de semana!

Doce Bianca,
essa nostalgia que seu texto desperta... essa beleza é uma delícia de sentir.
Mais uma vez, o seu texto é uma delícia de se ler calmamente, como que sorvendo, aspirando, degustando com a alma para sentir todos os sabores.
Viu só? a gente até delira demais tentando em vão expressar o prazer que é ler você.
Abraços,

Eu sou apaixonada por Legião Urbana... vejo em todos os albuns coisas incríveis... cada canção soa perfeitamente para um determinado momento da minha vida.
Beijo

Volta e meia somos todos tomados de arroubo pela nostalgia... são cheiros, luzes, quase sempre uma música... e lembramos de quando tudo parecia possível, quando não parecia haver qualquer distância separando continentes ou corações; quando os já desiludidos ainda não nos haviam tentado contaminar com suas desilusões.
Assim, nos relemos nestas linhas... nos refugiamos...
Beijos...

Feijãozinho, postei no meu blog aquele papo sobre propriedade intelectual. Constatei que vc tirou mesmo o bloqueio contra cópia de texto, que legal!

Passa lá depois e deixe seu rastro. Um beijo grande e bom fim de semana.

ps - o site da Rackel tá bombando também!

Oi, Bianca!
Passear por paisagens afetivas que se degradarm, deterioraram, por cenários que o tempo e o desleixo corroeram, ou o assim-chamado-progresso, inexorável, eis uma das faces da nostalgia que vc pintou tão bem.

Parabéns!

Beijos e abraços,

Marcelo.

Às vezes saio um monte de coisas, né?

Hoje posso só ler de novo e ficar aqui em silêncio imaginando cenas?! Tão bom...

Beijo!

É muito louco às vezes voltar a algum lugar que já foi nosso e não reconhecermos-lo mais como tal, dá uma sensação de desamparo, de perdas de referênciais. Lindo texto.

Beijos.

Olá Bianca,

entrei neste mundo blogueiro tem alguns dias, estava pesquisando sobre blogs de outras pessoas, quando, para minha surpresa, encontrei o seu. Surpresa por duas coisas incomuns que nós temos. Primeiro porque baixei o mesmo template que o seu (agora me pergunto ele é free mesmo, ou se baixei sem saber que não podia, ou seja, ele é de sua autoria?? se for me desculpe, e já providencio outro..) e segundo que criei um blog como a mesma finalidade que a sua, exteriorizar meus pensamentos, colocar leituras, livros, idéias, contos, crônicas. Ah, e gostamos muito da Clarice LIspectos.. rsrs

Oi!

Passando para agradecer aos visitantes que pela primeira vez entram aqui e aos que sempre estão aqui...

Vejo os comentários postados diariamente e não podia deixar de, aqui mesmo, postar meus agradecimentos a cada comentário!

B.E.I.J.O.S

Nossa Bianca será uma honra fazer parte da sua lista de blogs. Vou linkar o seu também, vc será a primeira..rsrs

Abraços.

Lindo, lindo!!

Adorei o texto!

É sempre bom lembrar esse tempo de criança, que pra mim, é a melhor época... das fantasias, ilusões, "paixões", eternas alegrias, a vida era apenas uma brincadeira, e a preocupação na escola era apenas o que seria o lanche!

rsrsrsrs


BeeeeijO!

Fernanda Priscila

Passei, parei, olhei, e resolvi te fazer o convite de vim conhecer o meu cantinho, pois o teu me parece muito interessante, quem sabe assim a gente não se aproxima mais e acaba trocando comentarios regularmente, não é mesmo?
Da proxima vez, venho para ler um pouquinho de tudo!
Tenha uma excelente semana!
Liz

Esta é a alma que voa de um Profeta
Ao encontro do teu sentimento
Este é o sal de alva espuma
Que te ofereço e diadema de espanto…

Olhos de alma, da tua alma
Quero-os no cais da minha chegada
Espero por ti em manto de ternura
No encontro da minha caminhada


Bom domingo

Mágico beijo

Suas escritas viciam, sempre volto antes do tempo para ler o próximo.

É impressionante como tu cresces a cada texto, em todos os sentidos.

Bjs!

Bianca querida ,

O sinal dos tempos não está só nos rostos das pessoas , que inexorávelmente envelhecem , está nesse mundo frio e calculista que transforma o verde em cinza .
Ladrilhar os corações dos responsáveis por tanto descaso seria uma idéia perfeita .
Qaundo li que "concreto não faz fotosíntese" há anos tentei entender , hoje isso é fato .
Vamos nos inserir nessa história que é nossa Vida , escrevendo com consciência e fazendo um Mundo melhor todos os dias .
Beijo Querida

Existem caminhos marcados a miolo de pão que passarinhos não comem... adoro a forma como você escreve!
Beijo na ponta desses dedinhos que mais do que falar, encantam!

quero maisssss!!!
;D

um beijo!!

Este comentário foi removido pelo autor.

Hummmm....

1.Você ter retirado o bloqueio é maravilhoso. Não por questões de liberação de conteúdo, que na vontade de divulgar o que gostei, nem que tiver que redigitar o que leio, dou um jeito. A fonte indo citada, não é roubo, é divulgação. Mas o maravilhoso mesmo é que voltou a ser possível ficar com as pernas jogadas pro canto da escrivaninha, preguiçoso, correndo tua página só com as flechinhas pra cima e pra baixo mesmo, coisa que antes não era permitida. Gosto de misturar bom gosto com preguiça.

2.Quarenta e tantos comentários... Depois de ler o R.U.A algumas vezes, voltei, o li de novo, e aí li os comentários um por um, percebendo que formam uma atração à parte. Não se sobrepondo ao seu texto. Não num universo paralelo. Mas de forma complementar. Eu sempre leio seus textos tentando descobrir um pouco sobre a Bianca que só você conhece, nessa minha cuirosidade com gosto por bisbilhotar, ainda que seja uma impossibilidade já em princípio. Mas sempre tem um grão de areia a mais. Você vem aqui, acende uma luzinha miúda, e depois da penumbra vou te vendo mais um pouco no mosaico de quarenta ou mais reflexos.

3.Puuuuta que o paril!! É o melhor, puxa-saco do Brasil: LEBLON! [o versinho repete-se 44 vezes]

4.Desculpe a explosão com veia irreverente, tô com sono sim, mole e jogado aqui, mas tô empolgado, feliz, festeiro. Beijo ao vivo pra você, ainda que de longe!

eu conheço essa rua da foto!!! uhuuuu!É em Ouro Preto!!!
lindo texto!!!
Faz a gente s esnetir no exato lugar descrito!!
Adoro te ler!!
beijosssssssss

Simplesmente maravilhoso.
Que ecoe sempre o tambor do Coração do Criador.

Um grande beijo e espero sua visita.

Não vou comentar... Os textos de nossa artista os dispensam!

euescrevo
livros
::Textos meus inéditos ::
noorkut
linkssobre
enciclopédia
videosinteressantes
sitesculturais
outrostextos
sertaoveredas
"O senhor... Mire e veja: o mais importante e bonito, do mundo, é isto: que as pessoas não estão sempre iguais, ainda não foram terminadas - mas que elas vão sempre mudando. Afinam ou desafinam. Verdade maior. É o que a vida me ensinou. Isso que me alegra, montão".
(Guimarães Rosa)
caio-fernando-abreu
"Dentro de mim guardo sempre teu rosto e sei que por escolha ou fatalidade, não importa, estamos tão enredados que seria impossível recuar para não ir até o fim e o fundo disso que nunca vivi antes."
Clarice-Lispector
"Quero morrer com vida. Juro que só morrerei lucrando o último instante. Ah... como quero morrer... mas nunca morrer antes de realmente morrer."
Nietzsche
"Há sempre alguma loucura no amor. Mas há sempre um pouco de razão na loucura."
Paulo-Leminski
Que tudo se foda, disse ela. E se fodeu toda.
Mario-Quintana
"As reticências são os três primeiros passos do pensamento que continua por conta própria o seu caminho".
Mario-Quintana
"Os males do mundo toda a gente sabe! Os meus... ninguém... A minha dor não cabe, nem nos cem milhões de versos que eu fizera..."
nelson-rodrigues
"Se cada um soubesse da intimidade sexual dos outros, ninguém cumprimentaria ninguém.
Bianca Feijó em seu site







Blog Bianca Feijó